Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

Você está confortável em sua pele?

As pessoas precisam sentir-se bem com sua própria pele. Pelo menos é disso que o comercial do sabonete Dove tenta nos convencer.

Eu acho que esta é uma boa meta para qualquer pessoa: sentir-se confortável em sua própria pele.

Imagine-se desamarrado das opiniões das pessoas. Imagine não pensar sobre o que os outros pensam sobre você. Imagine ser tão ligado a Deus, descansando na obra consumada de Cristo, que a sua experiência principal durante todo o dia é desfrutar o prazer dele.

Como seria legal passar por uma semana, um mês ou um ano sem estar sendo controlado por aquilo que alguém pensa de você?

Você está confortável em sua própria pele?

Quantas de suas decisões são controladas pelo que os outros pensam de você ou que você acha que os outros pensam de você?

Quando você compra roupas, você as compra para honrar ao Senhor ou para se manter em sintonia com as expectativas culturais?

Quando você está em uma situação em que precisa ser corrigida, você omite a sua opinião devido ao medo?

Quando você convida pessoas para sua casa, você fica correndo de um lado para o outro para ter certeza de que tudo está perfeito – seja lá o que você imagina ser “perfeição” – porque você anseia ser visto de maneira favorável?

Você luta com culpa excessiva? Talvez você tenha cometido um pecado há muito tempo e ainda carregue a condenação como um saco de pedras nas costas.

Uma das complicações mais comuns que você vai encontrar nas pessoas é o que a Bíblia chama de medo do homem. Provérbios nos ensina que se você não está confortável em sua própria pele, você está em uma armadilha que você mesmo criou.

Quem teme ao homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro (Provérbios 29.25).

Eu não sei se Dove pode fazê-lo confortável em sua própria pele. Mas posso garantir: se você não tem um relacionamento autêntico com Jesus Cristo, então seu conforto será mais marketing do que realidade.

Que opinião controla você?

Isso vale para mim também. Se eu estou depositando minha existência em outra coisa senão Cristo, então a minha força e conforto estão tão seguros quanto a longevidade e o poder da coisa que me controla.

Se eu estou firmado na pessoa e obra de Jesus Cristo, então os meus níveis de força e conforto são transcendentes. Não há poder, força, ou opositor maior que subjugue o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Em Cristo temos algo que é melhor do que uma estratégia de marketing, riqueza ou fama. Isso levanta algumas perguntas para nós. Você gostaria de estar confortável em sua própria pele? Gostaria de ser completamente liberto das opiniões dos homens? Gostaria de ser seguro? Se sim, então tenha a certeza de que você pode chegar lá. Talvez você pudesse fazer seu próprio comercial. Poderia ser assim:

Oi, meu nome é (preencarcom seu nome) e por causa da força regeneradora do Evangelho, a habitação do Espírito Santo, a iluminação da Palavra de Deus, e a graça capacitadora de Deus, eu definitivamente estou mais confortável em minha própria pele.

Não seria ótimo nunca ter de viver no temor de desagradar alguém nem ficar se sentindo culpado quando alguém o desaprova? Ser livre da opinião do homem, vivendo com segurança na realidade do prazer de Deus em você, por causa da obra do Filho, deve ser o objetivo de qualquer cristão.

Para fazer isso você terá de se entender com o que alguns chamam de uma mentalidade de obras. Esse tipo de pensamento atazana você para que acredite que aquilo que você faz é o que realmente importa, que você não pode estar bem com Deus ou com os outros a menos que você se comporte de uma determinada maneira.

Acreditar que suas obras contam é geralmente o “X da questão”, se você quer ser livre da opinião do homem. Não importa para quem você está desempenhando, nunca será suficiente, aceito ou correto.

  • Deus nunca irá aceitar suas obras, porque até mesmo os seus melhores dons estão contaminados.
  • Seus amigos vão sempre gostar de você, não importa o quê ocorra. Se você depender do seu desempenho a fim de agradar as pessoas, então precisa acordar e perceber que o que você tem não é uma amizade.

Assim como eu sou

Se você adotar a mentalidade “iô-iô”, de que seu desempenho é a maneira de ser aceito, então você estará mirando no alvo errado. Você estará sempre tentando discernir a melhor resposta que preencherá o seu anseio por um status mais favorável entre seus colegas.

Deus aceita você exatamente como você é, com verrugas e tudo. Ele o aceita com base na obra acabada de seu Filho, não suas humildes e terrenas ofertas. Você não pode agradar a Deus com suas obras. Você agrada a Deus aceitando a obra de seu Filho.

Quando você aceita a obra de seu Filho e para de lutar ou se colocar como se suas obras contassem, você pode ser livre e desamarrado da luta pelas boas apreciações. Há descanso para a pessoa que está descansando na obra de Cristo.

Isso não significa que você não vai mudar ou que não obedecerá aos ensinamentos da Palavra de Deus. Significa que sua obediência não é para ganhar seu favor, mas é uma resposta a seu favor.

Você não trabalha para ser aceito, mas trabalha porque foi aceito. Obediência é uma expressão de gratidão pelo que Deus fez por você, e não um meio de mudar a opinião dele a seu respeito para uma posição mais favorável. Se você aceitou a obra do Filho, o Pai tem uma maravilhosa e satisfatória opinião a seu respeito.

Verdadeiros amigos são como Deus

Da mesma forma, verdadeiros amigos imitam a Deus. Eles não gostam de você por causa do que você tem ou do que pode fazer por eles. Eles gostam de você porque gostam – Deus é amor e assim são os amigos verdadeiramente bíblicos. Ter uma amizade que é dependente do seu desempenho não corresponde à definição bíblica de amizade.

Amigos bíblicos são mendigos companheiros, igualmente carentes da graça de Deus. Ambos se beneficiaram com essa graça e, por causa disso, podem estender diariamente graça para o outro.

Amigos bíblicos não têm a amizade como um resgate – “você atendeu às minhas expectativas e então eu gosto de você”. Um amigo bíblico gosta de você porque escolheu fazê-lo, não por causa do seu desempenho. Amizade baseada na graça é um retrato do nosso Evangelho baseado na graça.

Como expressão de gratidão pela amizade você faz coisas boas para o seu amigo, como ser gentil, protetor, generoso ou simplesmente mostrando expressões de gratidão. Você não faz essas coisas como moeda de troca projetada para manter a amizade de pé, mas porque você quer retribuir com a mesma graça que foi estendida a você por ele.

E quando a amizade bíblica fica difícil, você persevera, porque a amizade não foi baseada em obras, mas na graça. Assim como com o seu relacionamento com Deus, é nesses momentos que a natureza redentora da amizade salta aos olhos.

O conforto começa com Cristo

Estar confortável com Deus e com os outros começa com Cristo. Antes que você possa estar sempre confortável em sua própria pele, você tem que achar sua zona de conforto, por assim dizer. Essa zona de conforto está em Cristo.

Uma vez que você esteja claramente abrigado em Cristo e amadurecendo nesse relacionamento, você deve ser gradualmente liberto da busca de opiniões. Se você não está sendo liberado das opiniões dos outros, então não precisa olhar mais longe do que para a dinâmica do seu relacionamento com Cristo.

Há muitos cristãos que ainda são fortemente influenciados por sua cultura, seus pares, e outras figuras, como cônjuges, empregadores ou figuras de autoridade. Ser inseguro com relação aos outros ou excessivamente influenciado pelos outros revela uma falha teológica na alma de uma pessoa.

Os homens são mais propensos a buscar uma opinião favorável dos outros com base em sua vocação, riqueza e reputação. Mulheres são mais propensas a desejar a opinião favorável dos outros com base em sua aparência percebida, aparência física e posição na vida.

O homem ou a mulher que estão seguros em Cristo são livres para ser eles mesmos em qualquer contexto – aparentemente alheios ao que os outros pensam sobre eles. Este não é uma indiferença desinteressada, mas uma liberdade que é encontrada somente em Cristo.

Um tipo diferente de bondade

A fim de alcançar um estado de aprovação eterna e inabalável você deve apoiar seu pé em outra coisa que a sua aparência, dinheiro, potencial de ganho ou aparência física.

Não há obras que você possa fazer que satisfaçam totalmente qualquer pessoa em todos os momentos. Não há obras que você possa fazer que satisfaçam totalmente a Deus a qualquer momento.

Aprovação eterna e inabalável começa com uma justiça substitutiva, uma justiça que sempre esteja certa e sempre seja aceita. Para estar confortável em sua própria pele você deve saber que vai sempre estar certo, nunca errado, completamente livre de condenação (Romanos 8.1).

Não há nenhuma maneira de alcançar este estado estando separado de Cristo. Uma pessoa que foi profundamente aceita por Deus é profundamente livre. As Escrituras nos dizem que nosso comportamento nunca produzirá justiça o suficiente para experimentar um relacionamento restaurado com Deus. Precisamos de um tipo diferente de bondade.

Portanto, ninguém será declarado justo diante dele baseando-se na obediência à lei, pois é mediante a lei que nos tornamos plenamente conscientes do pecado (Romanos 3.20).

A justiça vem através da fé em um justo, não através do comportamento. A justiça de Deus foi exibida, manifesta, e concretizada aparte da lei. Através de Jesus há um novo caminho.

Um relacionamento correto com Deus vem através do comportamento de Jesus Cristo. Você pode descansar nas obras de outro? Você pode parar de lutar, de atuar, de procurar uma coisa mais? Você pode descansar em Cristo?

4 Passos para a libertação

Há uma maneira de ser confortável em sua própria pele. Essa maneira é através de Jesus Cristo. Mas vocês perguntam: “Você pode ser mais prático do que isso? Eu amo Cristo e sei que ele é o caminho para a liberdade, mas eu não sei como romper com a escravidão do medo e descansar em sua justiça substitutiva”.

Aqui estão quatro coisas que eu recomendo que você ore a respeito. Leve essas coisas ao Senhor e ataque seu medo da desaprovação, o seu esforço para ser aceito.

Identifique – Nomeie áreas específicas onde você sabe que tem se esforçado por aprovação. Talvez seja na maneira de se vestir. Talvez você fique vigiando sua reputação. Talvez você tenha um pecado secreto. É uma área da relação com Deus ou os outros que o empurra para fora de sua zona de conforto. Existe uma condição de ansiedade, tensão, nervosismo ou culpa.

Reconheça – Ore especificamente para Deus libertar você destas coisas – por arrependimento. Confesse essas coisas a Deus, busque o seu perdão, e comece a traçar um plano para caminhar de forma diferente.

Compartilhe – Agora que identificou armadilhas específicas em que você é tentado ao nervosismo ao ser olhado sob uma luz desfavorável e que começou um processo de arrependimento, o próximo grande passo é compartilhar com outros o que Deus está lhe ensinando em secreto. Faça com que pelo menos um amigo conheça suas lutas e dê boas vindas às suas observações.

Aceite – Seja humilde o suficiente para aceitar as observações e fazer planos práticos para ter discussões permanentes sobre esta armadilha em que se encontra (Gálatas 6.1). Você deve manter a pessoa com quem está compartilhando com a responsabilidade de mantê-lo responsável. Seja tenaz. Não os deixe à vontade. Faça-os ajudar você.

Sendo justificados pela sua propiciação

Se você é um cristão, é justificado pela sua graça. Você foi declarado “não culpado” no tribunal de Deus. Não existe nada melhor do que isso. Você é um homem ou mulher livre em Cristo.

Na justificação não há nada que você possa fazer. É algo que é feito para você por outro, é um dom de Deus. A justificação é uma condição posicional – é quem você é em Cristo, com base nas obras de Cristo.

Embora não lhe custe nada, custou a Cristo sua própria vida justa – ele morreu pelos seus pecados. Deus, sendo um Deus justo, anunciou uma oferta para satisfazer suas demandas santas. Jesus Cristo absorveu e satisfez totalmente as exigências santas de Deus. Isto é propiciação.

Cristo “satisfez” (propiciou) a ira de Deus e este sacrifício abriu o caminho para você ser salvo e feito posicionalmente justo diante de Deus. Pare de se apoiar no comportamento e comece a crer no Salvador – em sua obra na cruz.

É a sua justiça. É a sua justificação. É a sua misericórdia. É sua graça… e você está salvo. Na cruz, a justiça e a misericórdia se encontraram e você vê a justiça de Deus demonstrada.

A justiça diz que o pecado deve ser punido. A misericórdia diz que vai punir outro em vez de você. A justificação é o que você ganha. Está aprovado por Deus, por causa do Filho, e agora tem o direito de se sentir confortável em sua própria pele.

Print Friendly, PDF & Email
Filed Under:
Tagged: