Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

Seu problema não são suas emoções, mas o seu pensamento

Marsha veio para aconselhamento à beira de um colapso emocional, conforme ela disse.

Jan perguntou como ela poderia lidar com o abuso emocional de seu marido.

Cindy se preocupa com seus problemas emocionais excêntricos.

Todas estas três senhoras têm se auto-diagnosticado como lutando com suas emoções.

Estão convencidas de que têm problemas emocionais.

Todas as três estão definitivamente lutando com alguma coisa. Nenhuma delas tem problemas emocionais na maneira como pensam que têm.

Suas emoções estão funcionando perfeitamente bem, tal como Deus as projetou para funcionar. Na verdade, as suas emoções estão trabalhando tão bem que estão sinalizando-lhes que algo está errado lá dentro. Esta é uma misericórdia do Senhor.

A questão real para estas senhoras não está em suas emoções, mas em seu pensamento.

Marsha, Jan, e Cindy têm problemas de pensamento.

As emoções não podem ser danificadas. Infelizmente nossa cultura psicologizada invadiu significativamente a forma como muitos cristãos pensam sobre essas coisas.

Agressão emocional pode ser vagamente comparada à agressão ao fumo. Se eu resolvesse agredir o fumo, creio que poderia empunhar um taco de beisebol e dar uma rebatida num pouco de fumaça. Segundo os teóricos seculares, eu seria um “agressor do fumo.”

Isso é estranho para mim: eu agrido o fumo. É sério? Isso é possível? Se você abraçar a idéia de agressão do fumo, então você está se afastando da solução.

Se você quer parar o abuso do fumo seria melhor ir para o lugar de onde a fumaça se origina, ao invés de interagir com  as ondas de fumaça.

Emoção é uma resposta aos pensamentos

Vamos fingir que você acabou de entrar em seu banco local só para descobrir que está sob o poder de um único homem armado. Assim que você entra, ele se volta, coloca uma arma na sua cara e grita para que você deite no chão. Naquele momento, suas emoções vão trabalhar bem e ainda fazer horas extras. Elas estarão respondendo a o quê você está pensando sobre tal crise.

Ou então isto: você acaba de receber um telefonema de que ganhou um novo iPad2. Agora você é o único a gritar, em vez de o bandido da ilustração anterior. Você grita e berra pelo seu marido no andar de cima para que ele saiba a boa notícia. Você está feliz. Mais uma vez, suas emoções estão funcionando muito bem e consistentemente com seus pensamentos nesse momento de comemoração.

Agora você recebeu outro telefonema que não foi tão agradável. Você acabou de ser informado de que um membro da família faleceu nas primeiras horas da manhã. Você tristemente termina a ligação e depois senta em sua cadeira para refletir e ponderar a infeliz notícia. Suas emoções vão seguir de acordo. Isso é normal. Suas emoções são normais. Você é normal.

Em todas as três ilustrações as emoções da pessoa estavam funcionando perfeitamente bem. As emoções são um dom de Deus.

Claro, há momentos em que nossas emoções não são úteis e precisam mudar. Se você deseja mudar suas emoções, então você tem que rastrear a emoção de volta até seu pensamento. É em seus pensamentos que suas emoções encontram sua origem.

Deixe-me dar uma ilustração análoga: suponha que você segure uma pedra do tamanho de seu punho acima de sua cabeça. Você, então, solta a pedra, que cai. Você não diria que teve um problema de gravidade na cabeça. A gravidade fez o que a gravidade sempre faz. A gravidade está sendo ela mesma, por assim dizer.

Assim é que as emoções são.

Mentes perigosas

Existem alguns pensamentos que podem levar a emoções desagradáveis. Em tais casos, é importante que a pessoa comece a mudar seu pensamento, a fim de ter melhores respostas emocionais.

Lembre-se, as emoções são consistentes com nossos pensamentos. Uma pessoa alegre é feliz em seu coração. Uma pessoa com raiva tem um coração irado. Somos fiéis a nós mesmos: o que mostramos por fora é o que somos por dentro. Se você quiser mudar o lado de fora, então você deve primeiro ajustar os seus pensamentos.

Abaixo há uma lista de emoções perigosas ou reações que apontam para uma vida de pensamento anti-bíblico:

Emburramento – esta é uma manipulação emocional que uma pessoa emprega a fim de mostrar que as coisas não estão do seu jeito. Quando você vê uma pessoa amuada, você imediatamente tem uma boa idéia do que ela está pensando.

Existe algum tipo de alarme de decepção na vida mental dela. Você preferirá não ficar excessivamente focado em seu melindre. Se ficar, então o seu principal objetivo se tornará fazê-lo parar de fazer beicinho, dando-lhe o que ele quer.

A melhor resposta para a pessoa amuada é tentar identificar o que está acontecendo em sua mente para determinar se seus pensamentos são bíblicos ou não.

Quase certamente não serão.

Você pode precisar chamá-lo ao arrependimento. Se você não fizer isso, você estará validando esse tipo de comportamento, o que poderia motivá-lo a empregá-lo regularmente, a fim de satisfazer seus pensamentos egoístas.

Culpa/remorso – Esse tipo de manifestação é de pessoas que se sentem mal sobre o que fizeram. É uma resposta emocional que necessita de intervenção bíblica clara. Pode haver várias coisas acontecendo na mente da pessoa. Se for culpa anti-bíblica, então deve ser removida porque não é de Deus.

Se uma pessoa está lutando sob uma falsa sensação de culpa, então você precisa confrontar o seu pensamento anti-bíblico. Há muitos cristãos que estão sobrecarregados por alguma forma de “culpa-remorso” por coisas que aconteceram em seu passado, quer por sua agência ou de outra pessoa.

Por exemplo, não é incomum um pai criar filhos incorretamente, em razão de vestígios remanescentes de culpa que nunca foram removidos pelo poder do Evangelho. Eles criam numa posição temerosa, porque sentem (pensam) que têm desagradado a Deus de alguma forma.

Talvez tiveram um divórcio não bíblico ou se divorciaram sem serem culpados em princípio. Ao invés de viverem na liberdade do perdão de Deus, eles tentam compensar e estragam seu filho, dando-lhe tudo o que ele quiser. Este é o modo dos pais de arrumar (pagar) o que fizeram com a criança por causa do divórcio.

Você vai ouvi-los dizer: “Eu pedi a Deus para perdoar-me muitas vezes pelo que fiz.”

Eles só têm de pedir uma vez. A graça de Deus é suficiente, não importa o que eles fizeram. No entanto, por causa de sua teologia pobre sentem uma sensação de culpa ou remorso que é um produto do seu pensamento, e não do Espírito de Deus.

Raiva – O homem irado geralmente é o homem manipulador. Na maioria das vezes ele está usando sua raiva para ganhar ou recuperar o controle de seu mundo. Se você for vítima de suas emoções, você vai responder exatamente como ele quer que você o faça. Você vai se acovardar.

No entanto, se a situação o permitir e você souber que não será atacado pelo manipulador raivoso, então você pode desejar ter acesso a seus pensamentos, onde estão os verdadeiros problemas.

O homem irritado está brincando de Deus. Ao invés de confiar em Deus para alcançar certa situação preferida, ele contorna a maneira de Deus pelo seu próprio caminho. Portanto, ele pode – e geralmente usará todos os meios necessários para justificar sua posição, enquanto culpa você pelas coisas que estão erradas.

A raiva é uma forma de insanidade: não está de acordo com uma mente bíblica.

Desespero – Esta é a emoção da falta de esperança. Seguindo o seu pensamento, eles perderam toda a esperança e o que você está observando por sua resposta emocional é uma forma de desespero, desânimo ou depressão. Normalmente a pessoa desesperada não cai apenas na vala do desespero.

Geralmente é o efeito cumulativo de muitos anos de pensamento ruim que passaram despercebidos. É difícil trazer à tona esse tipo de pensamento, porque uma pessoa que permite que seus pensamentos vão nesta direção normalmente não está familiarizada com o que está pensando, devido à vergonha.

Você pode não estar ciente de como eles foram processando as coisas até que o desespero de pleno direito tomou conta. Quando estiver servindo uma pessoa assim, deve se lembrar de que precisará ser muito paciente, mas também firme.

Não deixe que o seu desespero emocional influencie demais no seu cuidado. Você pode ser tentado a mimá-los quando o que eles precisam é de graça compassiva, cheia de fé e coragem.

Ciúme – Esta  é uma forma de raiva. O pensador ciumento fica louco com algo que não está recebendo. São cobiçosos em seu pensamento, e o que você observa no exterior emocional é o olhar ciumento.

Essa pessoa definitivamente não precisa ser mimada. Precisa ser trazida de volta para a cruz de Cristo. Como poderá o pensamento cobiçoso continuar em sua cobiça enquanto olha para a cruz?

Seus pensamentos precisam de uma significativa reorientação para o Evangelho.

Medo – Este é o sentimento mais comum de todos. “Não tenha medo” é o comando mais freqüentemente repetido na Bíblia. Nossa composição adâmica inteira está baseada sobre a dinâmica “medo/incredulidade” em nossas mentes. Nascemos com medo. Isto é o que fazemos.

Nenhuma pessoa pode escapar desta emoção. Enquanto às vezes ele possa servir-nos bem, como no caso do assalto ao banco mencionado acima, também pode nos prejudicar.

A pessoa baseada no medo precisa do Evangelho tal como todas as outras pessoas que eu descrevi nesta curta lista de emoções ou reações perigosas. Nada aponta tão diretamente para o nosso pensamento anti-bíblico como o medo.

E o que o medo diz a respeito do nosso pensamento? Diz que não confiamos em Deus.

“Não tenha medo, confie em mim.”

Estas seis palavras podem transformar você.

Todos os servos escolhidos de Deus cederam às tentações pecaminosas. Mas Deus foi maior do que todos os seus pecados. Se Deus está a seu favor, então quem pode estar contra você? Quando você está lutando com a dúvida e o medo, simplesmente pronuncie estas simples, mas poderosas, seis palavras.

Vá em frente e diga-as agora: “NÃO TENHA MEDO, CONFIE EM MIM”. Deus é totalmente confiável, não importa o que você pode estar passando. Repita essa verdade sempre. Deixe-a transformar sua mente e massagear sua alma.

Não tenha medo, confie em Deus!

Checkup emocional

Quando você estiver cuidando de seus amigos, certifique-se de não tropeçar no que está observando no exterior. Faça com que o que você está observando sejam pistas que o conduzam mais profundamente em suas mentes.

Comece com as emoções e se mova para dentro, para os pensamentos.

Uma vez que você entrar em sua vida mental, peça a Deus para dar-lhe o discernimento para compreender verdadeiramente o que estão pensando e como são afetados por seus pensamentos. Pensamento errado raramente é resolvido em um só encontro.

Às vezes são necessárias muitas reuniões, pessoas e contextos para falar a uma pessoa que teve o seu pensamento moldado de maneira anti-bíblica por muitos anos.

A exortação de Paulo em 1 Tessalonicenses tem sido muito significativa para mim ao longo dos anos, conforme eu penso sobre as pessoas que necessitam de cuidados bíblicos de longa duração:

“Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos” (1 Tessalonicenses 5.14, NVI).

Emoções podem ser boas ou más, mas em ambos os casos refletirão o que está acontecendo em nossos pensamentos. Se as emoções são boas, então a pessoa está pensando e respondendo biblicamente. Se as emoções não são boas, então a pessoa necessita de cuidado bíblico compassivo e paciente.

Filed Under:
Tagged: