Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

Rivalidade entre irmãos: competição encerrada

Phyllis se aproximou de mim na igreja com questões sobre seus filhos. Ela disse que eles têm uma constantemente “rivalidade entre irmãos”. Foi assim que ela se expressou.

Ela queria saber como ajudá-los. Perguntou se eu tinha alguma experiência com rivalidade entre irmãos. Eu disparei algumas ideias para ela, e fiz um acompanhamento com ela e seu marido mais tarde. Eis algumas das ideias:

Rivalidade entre irmãos não é uma expressão bíblica, portanto, a primeira coisa que eu disse a ela é que precisamos descobrir como mudar o nome daquilo que ela está observando em casa.

A razão pela qual isto é importante é porque o termo é um termo específico, mas não é algo de que a Bíblia trate da forma como ela estava pensando. Ela concluíra que, já que a Bíblia não trata de “rivalidades entre irmãos” (e realmente não trata), deve haver outros recursos que tratem especificamente de seu problema. Seu termo específico a levou a acreditar que precisava de ajuda específica, fora da Bíblia.

Ela não precisa da ajuda específica porque seu problema não é específico. Seu problema de família é comum – é chamado de pecado. A Bíblia trata diretamente do problema dela, mas ela não entendeu isso até que lhe pedi para renomear o seu problema.

A Bíblia fala da condição humana, independentemente de qual seja. No entanto, se você quiser que a Bíblia trate uma condição humana, deve primeiro identificar biblicamente o problema para o qual você espera encontrar uma solução.

É como dirigir a um destino. Se você não pegar a estrada certa, você nunca vai chegar ao destino desejado. Nem todo caminho vai levar você para a Bíblia, então você tem que ter certeza que está na estrada certa.

Ouça em dois níveis

Portanto, eu renomeei o que ela estava dizendo. É importante você fazer isso também. Quando alguém está falando com você, não deixe de responder a elas biblicamente, não necessariamente de acordo com o que estão dizendo a você.

Phyllis estava dizendo que ela precisava de ajuda com rivalidade entre irmãos. Sabe o que eu a ouvi dizer? Eu a ouvi dizer que precisava de ajuda com duas crianças egoístas. Há uma cosmovisão inteira de diferença nestes dois termos.

Se eu colocar autoridade em suas palavras, como se ela tivesse percebido o problema perfeitamente, eu teria ido correndo para uma livraria para encontrar um livro sobre “rivalidades entre irmãos”. Felizmente, não foi necessário.

Porque eu estava ouvindo em dois níveis: 1) as palavras que ela estava usando para descrever o seu problema de família, 2) e a Palavra de Deus que traz clareza ao que ela estava descrevendo, eu não tive de ir s prateleiras de psicologia da Livraria mais próxima. Em lugar disso, fui até a Bíblia.

Certifique-se de ouvir as pessoas biblicamente, não culturalmente. A maioria dos cristãos fala culturalmente. É importante compreender isto. Às vezes discipuladores podem ficar intimidados, porque não sabem como ajudar alguém com DDA, TDAH, TOC, TNT, TCC ou XYZ. (Ok, ok, eu inventei as últimas siglas.)

De sua perspectiva, a Bíblia não trata destas coisas. A princípio, isso é verdade. A Bíblia não tem a intenção de ser uma enciclopédia ou manual de referência. No entanto, se você ouvir o que não está sendo dito, mas que muito certamente está implícito, você pode aplicar a Bíblia a qualquer problema da condição humana.

Uma das coisas surpreendentes sobre o Salvador era sua capacidade de não ser pego ou tropeçar no que as pessoas estavam dizendo. Com visão laser, ele podia penetrar no coração do problema. Ele conhecia sua Bíblia.

Ele ouvia atentamente as palavras que as pessoas usavam e então ele reenquadrava as palavras conforme as suas próprias palavras: a Palavra de Deus. Esta era uma visão capaz de ver com clareza bíblica. Isto era sabedoria – aplicar a Bíblia aos problemas da vida real.

Se você importar rótulos culturais ao seu pensamento, você será tentado a procurar soluções extrabíblicas. Se você aprender a reclassificar biblicamente o que está observando, então você vai ser como Jesus, em que as respostas para os problemas virão facilmente para você.

Valorizando mais aos outros

Phyllis estava procurando algo sobre rivalidades entre irmãos. Eu a ouvia descrevendo duas crianças egoístas. O que ela precisava era de algo sobre egoísmo. Ela tem dois filhos egoístas que não estão valorizando o outro mais do a si. Leia estes dois versos em voz alta. Observe a sua beleza e clareza. Sinta a sua convicção.

“Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros” (Filipenses 2.3-4, NVI).

Eu posso não saber  todos os problemas dos seus dois filhos, mas uma coisa eu sei: se eles começarem a se conformar a esses dois versos, a maioria de seus problemas vai desaparecer. É possível que todos os seus problemas desapareçam.

Imagine ser norteado pelo outro. Tente por uma semana. Isso seria uma boa lição de casa para seus filhos. Seria uma grande lição de casa para mim também. Eu desafio você que, se tentar por uma semana, eu tento por duas. Seria transformador para nossas vidas.

Descompactando biblicamente a rivalidade entre irmãos 

Phyllis tem filhos egoístas. Por exemplo, ela contou que Katie – a de 13 anos –não gosta quando sua irmã, Kayla, deixa suas roupas no chão do banheiro. Katie geralmente fica com raiva e diz algo duro para sua irmãzinha.

Katie está sendo moldada pelo egoísmo, hipocrisia e raiva. Estes são três de seus pecados. Quanto à Kayla? Phyllis precisaria fazer-lhe algumas questões para descobrir por que ela deixa suas roupas no chão do banheiro.

  • Talvez ela seja negligente (preguiça).
  • Talvez ela esteja fazendo isso por rancor (raiva).
  • Talvez ela goste de ver a irmã ficar brava (provocação pecaminosa).
  • Talvez seja a única maneira de ela descontar na irmã (ciúme e vingança).
  • Talvez ela não se importe que isso chateie sua irmã (ódio).

Pode haver outras razões peças quais Kayla está fazendo isso, mas algumas poucas perguntas perspicazes atingiriam a raiz em algum momento. Uma vez descoberto por que ela está fazendo isso, eles seriam capazes de ajudá-la a se arrepender.

Você notou que eu coloco rótulos bíblicos ao lado de cada comportamento acima. Isso vai ajudar a trazer os padrões comportamentais em uma categoria bíblica adequada para que soluções bíblicas possam ser aplicadas. Repito: ouça o que está sendo dito e, em seguida, traduza as descrições em linguagem bíblica.

Não dá para exagerar a importância deste ponto. Algumas centenas de anos atrás, a maioria dos cristãos refletia sobre o que observava biblicamente, mas não é assim hoje. A mídia tem influenciado nossas mentes tanto, que a linguagem bíblica e o pensamento bíblico tornaram-se coisa do passado.

O cristão típico pode resumir as últimas cinco temporadas de Desperate Housewives, mas não consegue discipular alguém com zelo. Ele consegue lhe dizer a programação de TV de terça-feira à noite, mas não recorda a Ordem de Salvação. Ele entende de Redes Sociais, mas não dos meandros da depravação humana. Vivemos em uma cultura de crescente analfabetismo bíblico.

Precursor das coisas por vir

Uma das coisas que eu disse Phyllis é que ela está observando uma foto de como a vida futura de suas filhas será. Quem somos, em qualquer momento de nossas vidas é o que nós seremos em algum ponto futuro em nossas vidas.

Se você é um egoísta de 8 anos de idade, você vai ser um egoísta de 15 anos. Se você é um egoísta de 15 anos, você vai ser um egoísta de 30 anos de idade. A única coisa que pode mudar isso é o arrependimento. Se as garotas não se arrependerem, esse padrão de egoísmo vai seguir junto com elas e as apostas se tornarão progressivamente maiores.

Você acha que qualquer uma delas vai deixar de ser egoísta quando se casarem? Estão atualmente pecando enquanto vivem em estreita proximidade uma com a outra. O casamento é o derradeiro teste para viver na proximidade com alguém que é egoísta.

Se não podem eliminá-lo agora, não há como fazê-lo quando forem casadas, a menos que haja arrependimento verificável. Meu filho vem praticando ser marido desde que ele tinha cerca de dois anos de idade. Pelo menos é quando eu me lembro de ter lhe dito que ele estava praticando ser marido.

Ele tem duas irmãs e uma mãe. Tenho observado, ensinado e aprimorado sua interação com as meninas em nossa casa desde que começou a andar. A razão para isso é porque eu sei que a maneira como ele trata as meninas de hoje é um precursor de como ele tratará a que ele se casar.

Que campo de treinamento melhor eu poderia lhe dar? Imagine as oportunidades de viver em grande proximidade com três mulheres. Uau. Para começar, as duas menores dessas três mulheres são muito egoístas. Desnecessário será dizer que meu filho já teve muitas oportunidades de colocar Cristo em evidência conforme interagiu com suas irmãs.

Ele tem treinado durante seis anos, agora que está com 8 anos. Tem sido uma alegria assistir a graça de Deus em sua vida conforme era tentado de todas as formas por suas irmãs. Às vezes ele falhou e outras vezes teve sucesso.

Nós não ficamos controlando essas coisas, mas vemos seus sucessos e fracassos como oportunidades para encorajá-lo em direção à meta final, que é se casar com uma moça cristã algum dia.

Minha esperança e oração é que, após cerca de 20 anos de treinamento duro com as suas irmãs e sua mãe, ele estará em grande forma para liderar sua esposa. É parecido com usar pesos nas pernas por 20 anos. Espero que quando ele as tirar, ser um marido será moleza.

Onde está a rivalidade?

O que eu queria que Phyllis visse é que todos os homens são pecadores. Isto significa que todas as pessoas são egoístas, incluindo suas filhas. Isso não vai mudar senão pela graça de Deus ativa em suas vidas, juntamente com a sua obediência ativa para com Deus. Crianças egoístas se tornam adultos egoístas.

A unidade familiar é um laboratório para medir coisas como o orgulho versus humildade. Suas filhas estão sendo orgulhosas. Infelizmente, elas não entendem como suas reações são representativas de quem elas são como pessoas no mundo de Deus.

Katie disse que não podia esperar até estar sozinha e longe de sua irmã. Que erro trágico. Que maneira antibíblica de olhar as coisas. Este é o mesmo mal-entendido que muitas pessoas fazem em casamentos – será diferente da próxima vez.

Estatisticamente, não é verdade. A razão pela qual não será diferente na próxima vez é porque há duas pessoas egoístas dançando o tango. O que Katie não entende é que suas respostas pecaminosas às coisas em sua vida revelam não só o que ela é como pessoa, mas como ela precisa mudar.

Nada irá revelar o seu verdadeiro eu como um pouco de fogo. Katie está no fogo, e ela está reagindo pecaminosamente ao calor (Kayla) em sua vida. Ao invés de ver Kayla como um instrumento de justiça na mão de Deus, ela vê sua irmã como o problema. Ela age como uma vítima.

“De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês? Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras. Não têm, porque não pedem” (Tiago 4.1-2, NVI).

O que Katie não percebe agora é que não há rivalidade entre ela e sua irmã. A rivalidade real é a guerra em sua alma, de acordo com Tiago. Ela é uma menina mimada que não está recebendo o que ela quer, então ela luta e guerreia.

Seus pais terão de conduzi-la nisso, ou ela estará encaminhada para muitos dias difíceis, quando se casar com outra pessoa egoísta, o que ela tem 100% de chance de fazer, caso escolha se casar. Kayla pode ser sua irmã, mas no que tange ao egoísmo, ela é um protótipo para todos nós, incluindo o futuro marido de Katie.

Comece com Jesus, não com sua irmã

Phyllis terá que ajudar suas filhas a colocarem o Evangelho em termos práticos. Estou assumindo que são cristãs. Se não forem, então são impotentes para viver qualquer mudança permanente até que o Salvador habite dentro de cada uma delas (João 1.14).

Se são cristãs, então é hora de fazer um check-up de coração pelo Evangelho. Jesus Cristo, nosso brilhante exemplo, não veio aqui para ser servido, mas para servir (Marcos 10.45). Elas precisam aprender esta lição agora ou suas demandas se tornarão mais sérias quando forem mais velhas.

Agora, Katie está exigindo que a roupa seja apanhada. Kayla, por razões ainda não determinadas, não vê necessidade de servir a sua irmã. Esta rivalidade é composta de duas pessoas que estão exigindo os seus direitos enquanto resistem à mudança pessoal.

Este tipo de descrição abrange quaisquer duas pessoas egoístas, sejam cônjuges, irmãs, irmãos, pai e filho, até chefe e funcionário. Felizmente, a Bíblia trata de egoísmo.

É por aí que eu começaria com essas crianças. Há algo sobre o Evangelho redentor e reconciliador elas não compreederam ou não se importam em entender. Que o Evangelho penetre em seus corações.

Filed Under:
Tagged: