Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

Pornografia reversa: quando as mulheres chamam a atenção para si

Acho que a maioria de nós entende o que é pornografia.

É tipicamente entendido como quando um homem procura meios para olhar com cobiça uma mulher.

Mas que dizer de “pornografia reversa”? O que é isso?

Francamente, eu nunca tinha ouvido o termo antes, mas estou muito familiarizado com o conceito.

Eu estava cuidando de alguns amigos, recentemente, quando a mulher começou a falar sobre suas lutas com o que chamou de uma dependência em pornografia reversa.

Acho que eu fiquei mais espantado com a sua humildade que qualquer outra coisa.

Ela estava compartilhando sobre como gostava de capturar o olhar dos homens.

Ela tem lutado a vida toda numa batalha de insegurança e seu método de “sentir-se melhor sobre si mesma” foi se vestir e apresentar-se de tal forma a chamar a atenção para si mesma.

Senhoras, permitam-me fazer-lhes algumas perguntas:

  • Quando você se veste de manhã, você pensa sobre o olhar de Deus sobre você ou o das outras pessoas?
  • Você se veste para colocar em evidência o nome de Deus ou o seu físico?
  • Como é que a glória de Deus impacta a sua vida quando se trata de sua aparência?
  • Será que seus amigos ou cônjuge diriam que você está excessivamente preocupada com sua aparência?
  • Você pode ir até a loja sem realmente se importar com sua aparência?
  • Você está livre para sair sem se produzir?
  • Você secretamente se compara com outras mulheres?
  • O que alimenta mais os seus pensamentos: Como a cultura vê a beleza ou como Deus vê a beleza?

A dependência em pornografia reversa

A dependência em pornografia reversa é quando uma mulher, ou mesmo um homem, apresenta-se de maneira a chamar a atenção do sexo oposto para sua aparência. Ela não está ativamente consumindo pornografia, mas está fazendo isso de uma maneira reversa.

Um dos problemas mais sedutores com esse tipo abominável de pensamento é que ela pode se sentir cheia de orgulho e justiça própria condenando um homem que ativamente ou abertamente consome pornografia. Sua dependência é mais sutil; assim, seu raciocínio poderia seguir mais ou menos nesta linha:

“Estes caras são desprezíveis. Eles me enojam pela forma como olham embasbacados as mulheres.”

Conquanto sua avaliação possa ser rude mas verdadeira, você acha que se vestir de maneira sutilmente provocativa é mais espiritual, bíblica, e honrosa a Deus? Se sim, então você é uma legalista fazendo distinções irreais. Apesar de as duas dependências pornográficas irem em direções diferentes, ambas corrompem a alma e roubam de Deus a glória devida a ele.

Normalmente, uma dependência em pornografia reversa se manifesta de duas maneiras:

  • Mulheres comparando-se com outras mulheres
  • Mulheres desejando ou competindo pela admiração masculina.

Verificando a concorrência

A próxima vez que você estiver em um lugar onde uma mulher entra em uma sala onde já haja outras mulheres, observe como as outras mulheres olham para a dama que acabou de entrar. Uma mulher insegura olhará a mulher que acabou de entrar de cima a baixo. E por que ela faz isso?

Falei com minha amiga e seu marido especificamente sobre essa questão, embora a resposta seja evidente. Ela disse que o motivo pelo qual muitas mulheres fazem isso é para que possam se comparar entre si.

“Não temos a pretensão de nos igualar ou de nos comparar com alguns que se recomendam a si mesmos. Quando eles se medem e se comparam consigo mesmos, agem sem entendimento” (2 Coríntios 10.12, NVI).

Elas estão “verificando a concorrência” para ver como é. Você não entendeu?

Ela passou a explicar que é tentada a observar o que ela tem contra o que a outra mulher tem e, em seguida, ajusta seu pensamento sobre si mesma em conformidade com o que vê.

Se ela puder encontrar uma falha na outra mulher, então ela se sentirá melhor consigo mesma. Se a outra mulher parecer autoconfiante, ou tiver melhor aparência, ou estiver mais “em forma”, então ela se sentirá pior consigo mesma.

Esta é uma das razões pelas quais a pornografia é tão devastadora para uma mulher. Em sua mente, ela não pode competir com o que seu marido está olhando no mundo cibernético. Estas “mulheres de plástico” são o que nossa cultura classifica como nota 10. Nenhuma mulher normal poderia competir com uma “mulher virtual.”

O adultério, embora possa não ser uma competição tão “plástica”, ainda estraçalha o mundo da esposa porque ela sabe que foi desbancada pela concorrência.

Apreciei a resposta honesta e transparente da minha amiga. A maioria das mulheres não admitiria tudo isso. O que ela confessou é como um “aperto de mão secreto” só conhecido entre a fraternidade das mulheres.

Capturando a admiração masculina

O segundo elemento numa dependência em pornografia reversa é o desejo sutil de uma mulher de capturar o olhar de um homem. Esta é uma droga enganosa e atraente para a mulher insegura. Ela pode sentir uma sensação de poder se ela pode fazer o homem olhar a segunda vez. Embora ela possa ficar enojada com a idéia de adultério, ela se sente lisonjeada pelo olhar deles.

Há uma batalha de opiniões acontecendo aqui.

A opinião de quem direciona suas escolhas de roupa? A opinião de Deus a seu respeito ou a opinião de outra pessoa a seu respeito? De quem são os olhos ou a atenção que você está tentando atrair?

Algumas mulheres diriam que querem se sentir sexy ou atraentes, e que é culpa do homem se ele olha mais demoradamente. Sim, a culpa é do homem E você é ingênua e iludida. Um modo indulgente de ver as coisas. Na pior das hipóteses, você está mentindo.

Eu sei quando estou flertando ou manipulando uma situação. Não sou tão desconhecedor dos meus motivos. Eu suspeito que a maioria das mulheres tampouco esteja tão destacada de suas motivações como elas podem querer que você acredite.

“Portanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar” (1 Coríntios 8.13, NVI).

Deixe-me parafrasear assim:

“Se a maneira com que eu me visto faz o meu irmão tropeçar, eu nunca vou me vestir de uma forma que possa capturar sua atenção, para não fazer meu irmão tropeçar.”

Algumas irão argumentar e dizer: “Eu poderia vestir um saco de estopa e certos homens ainda cobiçariam”. Isso pode ser verdade. No entanto, quando argumentamos nessa direção, então estamos sendo intelectualmente desonestos. Sim, o homem lascivo vai cobiçar. Eu entendo isso. A maior questão para você é qual a motivação do seu coração?

Você se veste de maneira tal que possa capturar o olhar de um homem? Responda honestamente a essa pergunta. Se você está realmente em dúvida, então pergunte a alguém que tem a graça e a coragem de avaliar a forma como você se veste. Seria uma excelente conversa entre marido e mulher. Seria uma boa conversa entre as senhoras, em seu pequeno grupo.

À procura de pastores masculinos

Pai, como você está pastoreando suas filhas sobre suas tentações com a sensualidade?

Marido, você está atento a alguém que esteja “dando em cima” de sua esposa?

A sua esposa é seu “troféu” para outros verem?

Como você está guardando o coração e a reputação de sua esposa?

Você é culpado de permitir que ela se exiba diante dos outros?

Você sabe a diferença entre ser culturalmente relevante e sensualmente tentador?

Pais e maridos: vocês estão conversando com as mulheres de sua casa sobre essas coisas? Se sua esposa ou filha lutam com a insegurança, então é certeza que lutam com sua aparência.

Os pais de Candy disseram que ela nunca iria até a caixa de correio sem se maquiar. Eles viam isso como uma coisa positiva. Ficavam felizes porque Candy se cuidava.

Infelizmente, os pais de Candy não tinham discernimento. Candy era controlada pelo temor do homem e o que as pessoas pensavam sobre ela era mais importante do que qualquer outra coisa. Ela era uma idólatra.

Ao invés de ajudá-la a vencer o padrão pecaminoso dominante em sua vida, eles aplaudiram o seu desejo de ser atraente.

Insegurança é escravidão. Para a pessoa insegura, ficar mais bonita é como dar crack para um viciado. O de que precisam é ser libertos da armadilha da beleza e apresentados (ou re-apresentados) ao Evangelho.

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8-9, NVI).

Não só somos salvos pela graça, mas estamos sendo santificados pela graça também. Toda a nossa salvação, quer estejamos falando de sermos salvos ou santificados, é um dom de Deus. Há uma razão para isso: para que Deus possa receber a glória máxima pelo que ele fez. Mas para a pessoa insegura está havendo uma “questão de orgulho”.

A pessoa insegura, que está em cativeiro na armadilha da beleza, procurará superar seu problema através de suas obras, sua aparência. Vamos supor que ela o supere – o que seria uma miragem em vez de algo real – então ela poderia se gabar de suas realizações e se sentir melhor sobre si mesma.

Embora, por ser cristã, ela provavelmente fosse “discreta” sobre como superou seu problema, ela saberia que o “resolvera” através de sua força (beleza e aparência física) e não do poder de Deus. Isto é engano, legalismo, e outro Evangelho.

É também cegueira espiritual: ela mais do que provavelmente vê sua insegurança meramente como uma batalha em seu coração. O que ela não entende é que ela está em uma batalha com Deus. Ele se opõe aos orgulhosos (Tiago 4.6) e insegurança é uma manifestação de um coração orgulhoso. A pessoa insegura não é controlada por Deus, mas pelos outros.

Imagine ter um filho que tivesse medo, mesmo estando sob seu cuidado atento. Isso seria perturbador para você, por causa de tudo que você faz e tem feito para o seu filho para prover e cuidar dele. Apesar de sermos pais imperfeitos, Deus não o é.

Não ser capaz de aplicar o poder e a liberdade do Evangelho a todas as áreas da sua vida marginaliza o Evangelho. Este é um mau funcionamento do coração humano, e não um reflexo da incapacidade de Deus de cuidar de nós.

A mulher insegura, que está se agarrando à beleza vã a fim de se sentir melhor sobre si mesma precisa ser cuidadosa e habilmente orientada no significado de “estar em Cristo”. A solução não é complicada, embora aplicar a solução possa ser um desafio.

Marido, a sua esposa tem uma “dependência em pornografia reversa”?

Pai, sua filha está se tornando dependente da mesma forma?

Se assim for, faço um apelo para que você se coloque ao lado dela, a fim de cuidar de sua alma. Reexamine a relação dela com o Salvador. Busquem reorientar sua mente e coração em torno das verdades do Evangelho. Ajudem-na a desfrutar plenamente o que Cristo lhe deu por sua morte cruel na cruz. Ele morreu para libertá-la.

Filed Under:
Tagged: