Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

O dinheiro dele e o dinheiro dela não é “uma só carne”

Uma só carne quer dizer em todas as coisas.

A analogia é clara: a mão esquerda saiba o que a mão direita está fazendo. A mão esquerda e a mão direita fazem parte do mesmo corpo. A mão esquerda não diz para a direita, “eu tenho meus cinco dedos e você tem os seus cinco dedos – cada um por si”.

A mão esquerda e a mão direita não terão este tipo de pensamento. Elas são um.

Isso é o que a ideia bíblica de uma só carne significa.

Paulo não poderia ser mais claro:

Da mesma forma, os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo (Efésios 5.28-30, NVI).

Não há níveis de uma só carne – em um casamento ambos são um.

As mãos esquerda e direita não se tornam lentamente parte do corpo depois do nascimento. É total, o tempo todo, desde o início, sem exceções. Uma só carne é uma carne só.

Quando um casal se casa eles são posicionalmente uma só carne na mente de Deus. No entanto, eles passam a vida inteira crescendo funcionalmente mais e mais na unidade de carne. Casar não faz um casal total e funcionalmente uma só carne em todas as coisas.

Na verdade, casar não faz praticamente nada para tornar duas pessoas uma só carne. A única mudança real no casamento é Deus ordenando ao casal que sejam uma só carne. Daí, a responsabilidade é do casal de assimilar o que Deus ordena que eles sejam.

“Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne” (Efésios 5.31, NVI).

Para qual rumo você se inclina?

Só porque Deus declara que seja assim, não significa que a será funcionalmente. Um homem e uma mulher terão de trabalhar muito duro para serem uma só carne. Portanto, a primeira chave é determinar o rumo para o qual você se inclina. Você se inclina para o casamento ou você se inclina para longe do casamento?

Todos os casais estão sempre se afastando de algo e ao mesmo tempo se movendo em direção a algo. Essa é a ideia do texto de Gênesis, que é repetida no famoso texto de casamento em Efésios. A direção é clara. O jovem casal está se inclinando para longe das casas de seus pais enquanto se inclina para sua casa recém estabelecida.

Um dos meus professores chamava este novo arranjo de Império Doméstico Independente. Eu gosto desta nomenclatura. O novo casamento não está conectado a de onde vieram – o lar de seus pais; mas inclina-se a um novo arranjo – um império doméstico de unidade de carne, independente e sustentado por Deus. Para qual rumo você se inclina?

Esta é uma grande questão e o modo como você pensa sobre isso – especialmente se você acabou de se casar – estabelecerá a sua trajetória matrimonial para o resto de suas vidas. Você provavelmente já ouviu a analogia de dois navios que saem lado a lado do porto, com apenas alguns graus de diferença em suas rotas. Um navio terminou na Inglaterra e outro navio aportou na África.

Só porque vocês estão lado a lado no altar não significa que terminarão lado a lado no final de suas vidas. Se você tem qualquer esperança de acabarem juntos, então você tem que determinar desde o começo que você vai ser intencional sobre a assimilação total.

O que é uma só carne?

“Uma só carne” é exatamente o que perece ser. É uma só carne. Aqueles que querem ser uma só carne compreendem isso, refletem sobre isso, e procuram se tornar isso. Aqueles que não querem comprometer-se totalmente com o matrimônio, agem como se não entendessem e discutem sobre tudo, e ficam polemizando tudo.

Uma só carne significa unidade em todas as coisas. Houve um tempo quando as pessoas casadas levavam o mesmo nome. Sei que isso pode soar estranho para pessoas com menos de 40 anos de idade. Se nós vivêssemos naquela época, minha esposa e eu seriamos chamados de Sr. e Sra. Rick Thomas. Como isso atinge você?

Eu não estou defendendo que voltemos a esse tipo de nomenclatura, mas estou defendendo que os cristãos cheguem a uma melhor compreensão e prática do que significa tornar-se uma só carne no casamento.

Aqui é onde precisamos ter mais discussões sobre o que significa ser uma só carne. Ser uma só carne é amplo em seu alcance. Não deixa nenhuma parte do individual intocado. São duas pessoas que intencionalmente pretendem ser um em todas as coisas. Por exemplo, isto significa tornar-se um em:Realmente não importa a categoria, o casal deve estar inclinado a se tornar mais e mais um só em cada aspecto da vida. Sei que algumas pessoas lerão isto e acharão que é preciso ser gêmeos idênticos. Não é isso que uma só carne significa. De fato, isso prejudicaria as maiores possibilidades de uma carne viva.

Eu não creio que Lucy e eu poderíamos ser mais diferentes. Aqueles que nos conhecem bem poderiam enumerar muitas áreas em que somos diferentes. Mas eles rapidamente lhe dirão que há uma característica de unidade em nosso relacionamento que é muito legal. Isso porque, sinceramente, nos esforçamos para sermos um.

É como uma moeda. Existe uma coroa e há uma cara. Eu vou deixar você concluir o lado da moeda que eu represento em nosso casamento. Uma só carne significa que podemos ser muito diferentes, mas ainda somos uma só carne.

Deixe-me ilustrar com comida

Lucy ama ir a restaurantes, por razões diferentes do que eu. Para ela, é uma experiência. Para mim, é uma tarefa a ser ticada da minha lista. Eu tenho uma abordagem utilitária ao comer. Lucy tem uma experiência quase religiosa (Ok, estou exagerando um pouquinho…).

Mas nós somos uma só carne quando se trata de comer. Deixe-me explicar: quando Lucy me conheceu, ela descobriu uma grande quantidade de comida para micro-ondas em meus armários. Ela orou: “Senhor Jesus, ajude esse teu filho… por favor”. Quando eu conheci Lucy eu descobri um monte de refeições caseiras em sua casa. Orei: “Senhor Jesus, obrigado por essa tua filha… e que venha a cozinheira!”

Depois que nos casamos, tivemos muitas discussões sobre alimentos. Era um tópico entre muitos que continuam ainda hoje. Essas discussões não eram entre dois concorrentes, mas entre duas pessoas que queriam aprender um sobre o outro para que pudéssemos melhor servir um ao outro (Marcos 10.45).

Nós não éramos mais duas pessoas em busca de vantagem pessoal, mas uma só carne que queria crescer na nossa compreensão um do outro para que pudéssemos melhor representar Cristo e sua Igreja (Efésios 5.25). Não era uma tentativa individual de evitar perder algo, mas um esforço unificado para ganhar algo.

Eu intuitivamente sabia que estava faltando alguma coisa em Adão e que Eva tinha a perfeita peça correspondente. Eu precisava de uma costela e Lucy tinha uma. Nosso objetivo era desfrutar da aventura permanente de descobrir a melhor forma de juntar tudo em um todo unificado, para que pudéssemos magnificar o nome de Deus através do mistério de sermos uma só carne.

Portanto, sabíamos que não poderia haver segredos sobre o que pensamos sobre comida. Para mim isso tinha pouca importância e para ela bastante. Nossas conversas sobre comida não eram um esforço para persuadir a outra pessoa a “fazer do meu jeito ou pé na estrada”, mas para aprender como melhor podemos ser uma só carne.

Os cônjuges não são concorrentes, mas melhores amigos que estão buscando a melhor forma de glorificar a Deus através de uma união em uma só carne. Você pode perguntar, “Como suas preferências alimentares funcionaram numa só carne?”

Para Lucy é sem problemas pegarmos o drive-thru do frango frito mais próximo. Há momentos em que só queremos pegar e ir pra casa. E para mim, é sem problemas levá-la ao restaurante chinês. De fato, há poucas coisas que me trazem mais prazer do que desfrutar de minha esposa desfrutando comida chinesa.

Eu não a mudei muito e ela não me mudou muito. Mudar o outro não era o ponto principal em nossas preferências alimentares. De fato, o Evangelho nos ensinou que, se aprendermos a deixar de lado o que preferimos para o bem maior do outro, então ambos nos beneficiamos (Filipenses 2.6-7).

Dinheiro, dinheiro, dinheiro

Não são incomuns no aconselhamento situações em que há uma falta de prática de uma só carne quando se trata de dinheiro. Eu não sei como isso funciona no corpo de Cristo em geral, mas é comum casais em aconselhamento terem problemas de “dinheiro dele, dinheiro dela” – e as preferências dos dois nunca se encontrarão. É uma clara falta de compreensão e de aplicação do Evangelho ao dinheiro do casamento.

Não há base bíblica para isso. Na verdade, a Bíblia inclina-se na direção de uma bolsa matrimonial comum da qual ambos os parceiros lançam mão. Se você está buscando ser uma só carne em seu casamento, então, ser uma só carne no dinheiro é o óbvio.

Se um casal não consegue ser uma só carne no seu dinheiro, então mais do que provavelmente você encontrará outras fraturas em seu relacionamento. Não perseguir a unidade financeira não é apenas uma questão no casamento, mas um problema sistêmico, que fala de um casamento que não é uma só carne em muitos níveis.

Uma carne no dinheiro significa que o casal é responsável um perante o outro, e singular na visão a respeito de como lidar com o dinheiro. Isso não significa que a mulher não tem dinheiro para gastar ou o marido não tem dinheiro para gastar. Isso significa que eles são um quando se trata de dinheiro.

Cada casamento funciona de um jeito ao lidar com dinheiro, conforme as peculiaridades dos parceiros no casamento. Existe um zilhão de maneiras de fazer isso porque cada casamento é muito diferente. Não pode haver um tamanho único para todos.

Cada casal tem de estar disposto a sentar e conversar sobre como fazê-lo. Vou compartilhar algumas das maneiras que vivemos a unidade de carne financeira, mas eu nunca pensaria ou esperaria que alguém o fizesse exatamente da forma como fazemos. É nossa maneira, mas não necessariamente o melhor caminho para você.

Em nossa casa, Lucy lida com todas as nossas finanças. Embora eu pudesse fazê-lo e o fiz nos primeiros anos do nosso casamento, achamos mais fácil que ela lidasse com as finanças, uma vez que se tornou mãe em tempo integral. Nós somos uma só carne, por isso não importa quem lida com o dinheiro.

  • Nós dois temos liberdade para comprar coisas.
  • Falamos sobre todos os gastos que estão fora das despesas normais do dia-a-dia.
  • Temos um orçamento.
  • Nós concordamos mutuamente sobre a forma como gastamos o dinheiro.
  • Temos uma relação financeira totalmente aberta, transparente e responsável.
  • Temos vários investimentos.
  • Ela sabe o que eu faço com o nosso dinheiro.
  • Eu sei o que ela faz com o nosso dinheiro.

O dinheiro nunca deve ser um aspecto principal em um relacionamento. O dinheiro é um meio de glorificar a Deus, não um fim para satisfazer a nós mesmos. Se estamos ricos, então nós dois estamos ricos. Se nós somos pobres, então nós dois somos pobres. Somos uma equipe trabalhando com a mesma receita, tentando glorificar a Deus com o dinheiro que ele nos dá.

De qualquer maneira, não é seu

A coisa mais óbvia sobre toda a discussão financeira é que ele nunca foi destinado a ser o dinheiro dele ou o dinheiro dela. É o dinheiro de Deus. É meio estranho que duas pessoas em um casamento fiquem polemizando sobre o dinheiro que é de Deus.

Isto é uma forma de roubo somado a engano, e também imaturidade bíblica. Imagine alguém que dá a um marido e a uma esposa R$ 1.000.000 para construir uma edificação que pudesse ser vista por toda a cidade. No topo da estrutura o homem rico queria que fosse colocado seu nome para que todos soubessem de quem a edificação era.

O marido e a mulher receberam o dinheiro e, em seguida, começaram a discutir sobre ele como se o dinheiro fosse dele ou dela. Que triste. Que errado. Eles perderam totalmente a finalidade do dinheiro. Não era para o uso deles.Seu propósito era ser usado para engrandecer o nome daquele homem.

Filed Under:
Tagged: