Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

Meu filho joga muito videogame?

Um dos meus leitores me escreveu: “Rick, uma amiga em nossa igreja me perguntou sobre os videogames de seu filho. Ela queria saber se eu achava que ele jogava demais. Como você responderia a sua pergunta? – Obrigado”.

Este artigo tem uma abordagem prática para o problema de videogames. Se esta senhora se aproximasse de mim com sua pergunta, as duas primeiras coisas que eu gostaria de fazer por ela seriam incentivá-la com esperança, enquanto abordasse a questão real do coração de seu filho. Vamos dar uma olhada primeiramente na esperança.

Esperança

Eu reorientaria sua mente em direção à bondade de Deus, incentivando-a em seus cuidados constantes com seu filho. O que quero dizer é que eu gostaria de oferecer-lhe esperança. Este é sempre um ponto de partida essencial quando se lida com problemas na vida de ninguém.

Se ela lhe faz uma pergunta do mundo real, especialmente sobre seu filho, então ela está fazendo o que todos os pais deveriam fazer. Está sendo pró-ativa. Além disso, ela está procurando ajuda no lugar onde Deus gosta de fornecer ajuda – a igreja local.

Ela está vindo a você, dentro de sua igreja local, pedindo respostas de Deus para o seu problema. Esse é o sonho de um conselheiro ou o que eu chamo de tripé de aconselhamento: (1) Você, (2) Igreja, (3) Deus. Ela está pedindo à pessoa certa, no lugar certo, e de acordo com a Palavra de Deus. Ela precisa ser elogiada e encorajada.

Coração

Em segundo lugar, eu a levaria a entender que os videogames não são o problema real. Os comportamentos na vida de qualquer pessoa nunca são as questões reais. As verdadeiras questões são sempre encontradas no coração. Ela terá de aprender a discernir o que está acontecendo no coração do filho.

Mas as coisas que saem da boca vêm do coração, e são essas que tornam o homem ‘impuro’. Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias. Essas coisas tornam o homem ‘impuro’; mas o comer sem lavar as mãos não o torna ‘impuro’ (Mateus 15.18-20, NVI).

Se ela dirigir a pontaria no coração dele, então será capaz de mirar com precisão os problemas reais com profundidade e gravidade. Portanto, ela terá de fazer algumas perguntas de raios-X que tocar verdadeiro eu dele.

Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida (Provérbios 4.23, NVI).

Analisando a mãe

Conforme você continue progredindo com ela, deve levá-la através de algumas coisas que ela provavelmente já sabe. Na minha experiência, quando alguém faz uma pergunta como a dela, já sabe a resposta. Provavelmente, ela não é uma exceção.

É possível que ela seja superprotetora e excessivamente preocupada com seu filho. Ela também poderia ser uma mãe que está escolhendo criar seu filho pelo medo ao invés de pela fé.

Se estiver ansiosa ou com medo, ela provavelmente está certa sobre sua avaliação do envolvimento dele nos videogames, pois é um comportamento bem fácil de observar. A maioria dos pais é razoável e geralmente pode dizer quando está demais.

Embora ela já possa saber a resposta à sua pergunta, esta pode ser sua maneira de pedir ajuda. Pode ser sua maneira de começar a conversa. Ela pode também estar tentando obter afirmação de você. Pode estar querendo verificar se está correta. Pode ser que ela disse algo a seu filho e ele a afastou, dizendo que estava errada, que não o entende, ou algo parecido.

Talvez seu marido não a acompanhe na sua perspectiva e ela esteja à procura de uma terceira opinião, para dissuadir ou reafirmar sua perspectiva. Talvez seu marido não esteja liderando seu lar e ela esteja clamando por ajuda.

Portanto, depois de eu dar-lhe esperança e reorientar sua mente para o coração da questão, eu exploraria suas razões para esta pergunta. Não só você vai descobrir a motivação de sua pergunta, mas provavelmente você vai receber algumas dicas sobre a dinâmica familiar, que pode estar contribuindo para o problema de videogame sobre o qual ela está perguntando.

Explorando a família

Agora que ela vislumbrou esperança, foi redirecionada para o coração de seu filho e você tem uma boa ideia a respeito de sua motivação para perguntar, você pode começar a explorar a dinâmica da família com ela. Antes de começar a perguntar sobre seu filho eu discerniria o ambiente familiar em geral.

Onde está o pai? – Eu vou assumir que ela é casada. Se não, então este pressuposto vai ajudar a maioria do público que está lendo este artigo. Esta pode ser a pergunta mais importante a fazer-lhe.

Infelizmente, a maioria das pessoas que pedem aconselhamento são esposas e mães. A mulher vai pedir aconselhamento sobre seu casamento e a mãe sobre seus filhos. Sei que alguns caras estão ocupados e que delegam o contato inicial, mas na maioria das vezes eles simplesmente não lideram. Muitas vezes o trabalho da educação é deixado ao critério das mães.

Um pai é a pedra angular da família, humanamente falando. Mesmo que ele não esteja em casa, tem um papel inestimável. Independentemente de onde ele esteja, deve ser o líder na criação dos filhos.

Certifique-se de preservar o coração dela quando perguntar sobre seu marido. Pode ser um tabu para ela. Enquanto queira explorar este ponto-chave, você também quer ajudá-la. Isso pode ser desanimador para ela.

Qual é o seu modelo de paternidade? – Todos os pais têm algum modelo de paternidade. Eles têm valores, metas e práticas. Embora ela possa não ser capaz de articulá-los, você deve extraí-los. Como eles criam seu filho? Como ocorre, no dia-a-dia e semana após semana? Quão ativos são os pais na vida da criança?

Será que eles construíram um ambiente de vídeo? – Às vezes os pais cedem à tentação dos videogames, TV, esportes ou outros meios, a fim de obter uma folga como pais, ou por medo de dizer “não” a seus filhos. Verifique isso com cuidado.

Facilitaram muito para ele jogar? Se assim for, por quê? Há uma razão para ele agir assim, e vai ser importante saber por que está acontecendo. Pode haver algo de que os pais precisem se arrepender. Talvez isso seja mais do que um problema do garoto.

Como se parece a sua vida na Igreja? – O quanto essa família é ativa na igreja local? O quanto o garoto é ativo na igreja local? Eu não estou perguntando apenas quantas vezes elas aparecem, mas se valorizam a comunidade local de crentes e se como família estão edificando em uma comunidade ordenada por Deus?

A expectativa do Novo Testamento é que os crentes estejam em tudo relacionados à sua congregação local. Você está bem familiarizado com Atos 2.42-47, por isso não vou repetir aqui, mas como você sabe as pessoas do NT eram centradas na comunidade. Há uma ruptura e, em caso afirmativo, por quê?

Qual é a relevância de Cristo na família? – Se Cristo não é praticamente modelado pelos pais, há uma boa chance de que ele seja rejeitado pela criança. Frequentemente os pais ensinam Cristo, mas são fracos na área de modelar Cristo. Há um mundo de diferença entre esses dois conceitos.

O que quero dizer é que pais que não modelam Cristo farão a oração padrão na hora da refeição, irão à igreja e se certificarão de que todos na família tenham uma Bíblia. Eles podem até mesmo participar de estudos bíblicos e colocar seus filhos na EBD, a fim de salvá-los.

Onde tudo se quebra é que está faltando um autêntico exemplo prático de Cristo na vida dos pais. Os pais vivem a vida de Cristo de forma mensurável, observável, e inegável? Paulo disse que desta maneira:

Tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim, ponham-no em prática. E o Deus da paz estará com vocês (Filipenses 4.9, NVI).

O que essa criança está aprendendo, recebendo, ouvindo e vendo em cada um dos pais? Se a modelagem não precede o nosso ensino, então nosso ensino pode rapidamente tornar-se vão para nossos filhos.

Tenha cuidado ao explorar isso, mas de toda forma chegue aqui com ela. Sim, ela precisa de esperança e encorajamento, mas você também precisa da avaliação mais precisa  pode ter, se quiser efetivamente servi-la. Este tipo de exploração é essencial.

Explorando o filho

Tenho certeza de que você pode pensar em mais perguntas, a fim de discernir a dinâmica familiar em geral. Também estou certo de que, conforme você faz as perguntas acima, o Espírito irá iluminar a sua mente com mais perguntas que servirão a ela. Você obedece ao Espírito enquanto confia no Pai para os resultados que a fim de que ela obtenha uma imagem mais clara de como a vida de Cristo se parece.

Uma vez que você sente que tem uma boa visão das dinâmicas gerais e específicas da casa, você deverá acessar o filho. A seguir estão algumas perguntas que eu gostaria de fazer a ela sobre ele. Você pode achar que é uma boa ideia se encontrar com o filho depois de discutir algumas das coisas neste artigo. Quanto a isto, vai depender do que você descobrir a partir dela e da capacidade dos pais de pastorear seu filho em direção a Cristo.

Não vou elaborar sobre as razões para fazer as perguntas abaixo, pois acho que são autoevidentes. O que é essencial é que você a sirva de forma abrangente. Muitas vezes os pais perguntam sobre seus filhos sem refletir através de toda a dinâmica que contribui para os problemas do filho.

As questões e pensamentos que descrevi para você até aqui darão a ela uma melhor visão periférica de toda a dinâmica familiar. Às vezes, nós pais podemos focar no que percebemos ser o problema, enquanto perdemos alguns dos problemas auxiliares – como o que algumas das perguntas acima podem revelar.

A respeito do filho, eu gostaria de saber:

  • A atitude regular da criança.
  • Sua paixão pelas coisas espirituais.
  • O quanto ele é responsável?
  • Como são suas notas?
  • Como é que ele convive com sua família e colegas?
  • O que é o centro vital da sua vida? …É Cristo? …Ou algo mais?
  • Qual é o nível de maturidade da criança?
  • Preencha o espaço em branco: Eu (a criança) seria feliz se eu pudesse _____________. (Como a mãe responderia a isso?)
  • Responda a esta pergunta: Por que eu jogo videogame? (Como a mãe responderia a isso?)

Guarda o teu coração

Em um sentido, videogame não é diferente de qualquer outra coisa que fazemos que podem tomar o lugar preeminente do nosso Cristo. Todos nós fazemos isso ou somos tentados a fazê-lo. Eu não sou diferente deste garoto. Sou tentado a escolher minhas próprias substituições de Deus preferidas.

É mais do que provável que o garoto esteja em conflito. Ele pode estar sofrendo e se escondendo de alguma coisa. Eu tentaria dar à mãe um vislumbre deste entendimento para certificar que o coração esteja bem guardado da frustração e impaciência e acima de tudo, da auto-justificação.

Minha passagem favorita nesta linha é Mateus 7.3-5:

Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão (Mateus 7.3-5, NVI).

Não importa o que alguém está fazendo, não é pior do que eu, da minha perspectiva. Isso ajuda a governar o meu coração quando estou servindo aos outros. Nós todos necessitamos de Cristo. Às vezes os ajudadores podem esquecer a sua necessidade quando eles estão ajudando

Print Friendly, PDF & Email
Filed Under:
Tagged: