Get Our 2020 Fall Campaign Flyer

Gays vão para o céu?

De um dos meus leitores:

“Eu gostaria de entender melhor sua opinião sobre 1 Coríntios 6.9-10. Alguns dizem que enquanto homossexuais não praticarem, está tudo bem; outros dizem que uma vez que estão em Cristo são novas criaturas, e não são mais homossexuais. O que você acha disso, e de estilos de vida pecaminosos e “vícios” em geral?

Aqui está o texto a que meu amigo está se referindo:

“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.”

Eu creio que ao abordarmos a excelente pergunta do meu leitor, precisamos fazer algumas outras perguntas também:

  • Depois que uma pessoa é regenerada será que ela será tentada a pecar novamente?
  • Depois que uma pessoa é regenerada será que ela realmente pecará novamente?

Acho que todo mundo vai concordar que pecamos depois de sermos regenerados. Sei que pequei muitas vezes depois que Deus me salvou cerca de 25 anos atrás. E não prevejo que haverá um dia em minha vida no qual eu não peque. Digo isso com vergonha.

Eu gosto de meu pecado? Sim, às vezes. Há prazer temporário no pecado. Quando eu me iro contra minha esposa, geralmente há um pouco de alegria e me sinto bem com o que estou fazendo naquele momento, mesmo que a minha consciência esteja apitando também. Eu me irei com minha esposa antes de nos casarmos, no início de nosso casamento e mais recentemente.

Embora ela seja minha melhor amiga e eu a ame mais do que qualquer outro ser humano neste planeta, ainda me pego ficando irado contra ela de vez em quando. Não se engane: eu realmente amo minha esposa mais do que qualquer outra pessoa e você pode ler sobre o meu carinho por minha maravilhosa esposa em meus posts.

Às vezes, fico perplexo com a forma como eu posso me aborrecer num momento, pecando em ira contra ela e contra Deus. Eu creio que fui regenerado. Acredito que me tornei uma nova criação em Cristo um quarto de século atrás. E ainda cometo esse mesmo pecado. E esse não é o único. Há uma batalha em curso na minha alma com a justiça própria, o medo do homem, o não pensar o melhor sobre os outros e o não exercício da fé em Deus.

E esta é apenas uma parte da minha lista de pecados. Há mais! Eu não sou humilde. Às vezes minto ao apresentar a mim mesmo em uma luz melhor do que eu realmente sou. Eu posso torcer os fatos (leia-se: mentira). Eu posso ser orgulhoso no contexto de nosso pequeno grupo, não sendo transparente e honesto sobre o que realmente está acontecendo na minha vida. Por outro lado, posso ser orgulhoso ao compartilhar o que está acontecendo em minha vida de tal maneira que, embora eu possa balançar humildemente minha cabeça e falar solenemente sobre o meu pecado, me sinta inflado de orgulho.

O pecado é a minha força. É o que eu faço melhor.

Isto me envergonha? Sim! Quando meu coração é reto diante de Deus, a minha alma fica muito mais consciente da minha contínua maldade pós-salvação. Devo dizer que estou mais maravilhado com o Evangelho 25 anos depois que Deus me salvou do que no princípio. Parte disso é porque eu tenho uma melhor compreensão da minha maldade agora do que naquela época.

Eu entendo porque Paulo se via como o pior dos pecadores. Chague para lá, Paulo. Rick está aqui para tomar o seu lugar.

A graça de Deus é inegável! O Evangelho é maravilhoso!

Acho que eu abri a minha alma para você examinar. E adivinha? Eu peco. Estou triste com isso. E estou trabalhando para mudar isso. Eu não sou homossexual, mas tenho tentações que persiste pela minha vida, às quais eu cedo às vezes. Espero que esta semana eu não me ire contra a minha preciosa esposa… e na próxima semana também. Nós estamos trabalhando nisso juntos. Deus está ajudando também. Eu estou aprendendo. Crescendo! Mudando!

Eu sou uma nova criação em Cristo e eu ainda peco. E, louvado seja Deus, eu sinto sua convicção e me aproprio da sua graça. Um cara pode estar lutando com a homossexualidade do jeito que eu luto com o meu pecado? Acho que sim.

Posso aceitar o pecado da homossexualidade? Não mais do que eu aceito o meu próprio pecado ou o seu pecado. De todo modo, qual é a sua tentação permanente à qual às vezes você cede? Se o cara gay está quebrantado quanto ao seu pecado à semelhança do que eu estou quebrantado quanto ao meu, então temos um bom ponto de partida para ajudá-lo em suas tentações.

Será que ele vai para o céu? Só se ele foi regenerado.

Filed Under:
Tagged: